Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Brasil’

Redação ABC

O Brasil pode ficar de fora da Copa de 2010. Pelo menos é isso que os Portugueses, adversários da Canarinha na primeira fase, querem. O motivo seria a demora da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em resolver o imbróglio judicial entre Guarani e Lusa. O “caso Cazarine”.

O problema já começa a ganhar força na Europa. Os portugueses querem que a CBF penalize o clube campineiro pela inscrição irregular do atacante Bruno Cazarine. Caso isso não ocorra, uma punição cairia contra a própria CBF.

De acordo com o Código Disciplinar da FIFA, o não cumprimento de uma determinação da entidade é penalizado “com a exclusão de uma competição futura”.

Como o próximo torneio entre seleções organizado pela entidade é justamente a Copa do Mundo, o Brasil seria excluído do Mundial. Apesar de admitir o equívoco, a CBF ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso entre Guarani e Lusa.

O caso Cazarine – O Guarani pode ser punido pela inscrição irregular do atacante Bruno Cazarine, que defendeu a Chapecoense no Campeonato Catarinense deste ano.O jogador se transferiu para o Gyengnam, da Coreia do Sul, e depois retornou ao futebol brasileiro para vestir a camisa do clube campineiro na Série B. Como o estatuto da Fifa só permite que um jogador jogue por dois clubes em uma temporada, o Bugre pode sofrer uma punição e até perder a vaga na Série A.

No entanto, o Guarani aplica o “contragolpe” na mesma moeda, afirmando que a Portuguesa escalou o centroavante Zé Carlos de maneira irregular. A falha da lusitana estaria em ser o terceiro clube do atacante, que atuou pelo Ituano no Campeonato Paulista e pelo Cruzeiro tanto no Brasileirão quanto na Copa Libertadores.

Com informações da Gazeta Esportiva.

Anúncios

Read Full Post »

Redação ABC

Brasil vai pegar de cara o Portugal de Cristiano Ronaldo e a Costa do Marfim de Drogba. Dificuldade logo na fase de grupos tem dois lados. Se a Seleção passar para as eliminatórias vai com bastante força! A África do Sul sem dúvida vai sofrer. Afinal de contas, França, México e Uruguai é bronca. O grupo está nivelado e só passam dois. O negócio agora é ficar de olho na preparação das equipes. Daqui para a Copa ainda vai “rolar muito água”. Vale ressaltar que ano que vem a Fifa vai dar a maior premiação da história da competição.

Os Grupos são:

Grupo A: África do Sul, México, Uruguai e França.

Grupo B: Argentina, Nigéria, Coreia do Sul e Grécia.

Grupo C: Inglaterra, EUA, Argélia e Eslovênia.

Grupo D: Alemanha, Austrália, Sérvia e Gana.

Grupo E: Holanda, Dinamarca, Japão e Camarões.

Grupo F: Itália, Paraguai, Nova Zelândia e Eslováquia.

Grupo G: Brasil, Coreia do Norte, Costa do Marfim e Portugal.

Grupo H: Espanha, Suíça, Honduras e Chile.

Read Full Post »

Nilmar marca mais uma vez em grande apresentação e vai tomando a titularidade de Robinho. Porque a vaga já deve estar garantida!

Redação ABC


O Brasil venceu Omã por 2×0 na festa do sultão na terça (17) no Qaboos Sports Complex Stadium. E é o primeiro time a vencer a equipe por mais de um gol de diferença. Nilmar, que já deve estar garantido no elenco do Copa, mais uma vez foi o destaque da canarinha, com um tento, o outro foi contra de Al-Ghailani. Isso porque o goleiro Al-Habsi defendeu todas as tentativas de Luis Fabiano e Kaká.

Logo aos três do primeiro tempo, na segunda oportunidade que teve, o Brasil marcou. Gilberto Silva lançou Luis Fabiano, que dominou de calcanhar e chutou, Al-Habsi defendeu, mas no rebote Nilmar marcou o oitavo pela Seleção.

O que pareceria e poderia ser uma goleada, parou no goleiro de Omã. Enquanto isso os atacantes árabes incomodavam Júlio César. Mas nos minutos finais da primeira etapa o arqueiro responsável pela baliza anfitriã defendeu um chute colocado de Kaká, uma cabeçada do Fabuloso e uma bola no canto de Nilmar.

O time de Dunga voltou para o segundo tempo com três alterações: o volante Fabio Simplício, o meia Júlio Batista e o atacante Hulk, no lugar de Felipe Melo, Kaká e Luis Fabiano. As alterações deram menos mobilidade e oportunidades ofensivas. Até que aos 14, Elano saiu para dar lugar a Carlos Eduardo. O ex-gremista levou mais movimentação ao jogo e se não fosse os passes errados e afobados, poderia ter feito uma grande partida.

Aos 16 do segundo tempo o lateral-esquerdo Michel Bastos, bastante elogiado por Dunga, tentou um cruzamento para Hulk, mas Al-Ghailani se antecipou e, na tentativa de cortar a bola para escanteio acabou marcando contra. Depois do gol o técnico brasileiro sacou Maicon e Lúcio para dar lugar a Daniel Alves e Cris. E a partida acabou ficando ainda mais morna e cheia de erros.

Testes:

Michel Bastos mais uma vez fez boa partida e deve ter deixado claro que pode naturalmente voltar a ser convocado para a lateral-esquerda. Thiago Silva levou mais velocidade e qualidade no passe ao jogar com Lúcio, os dois têm técnica para aparecer na frente. Fábio Simplício jogou apenas um “feijão com arroz”. Carlos Eduardo se movimentou bastante pelos dois lados, mas não surpreendeu e os lançamentos e passes errados colaboraram com uma exibição muito abaixo do que pode apresentar. Hulk se mostrou mais a vontade do que no jogo contra a Inglaterra, talvez pela pressão de uma estreia contra uma das melhores seleções do mundo. Contra Omã, o atacante se movimentou mais, buscou o jogo pelas pontas e arriscou em algumas oportunidades, mas ainda não se apresentou como em Portugal, pelo Porto. O zagueiro Cris foi muito abaixo do esperado e a sua pouca velocidade quase resultou num gol da seleção árabe. O atleta realmente não deve ocupar a vaga deixada por Miranda.

Read Full Post »

dunga-sorriso

"Éééééééeéé..."

Brasil venceu por 1×0 uma Inglaterra praticamente reserva. O jogo foi no Khalifa International Stadium em Doha, Qatar As duas seleções, já classificadas para a copa, aproveitaram o amistoso para fazer testes. Vários atletas das duas equipes ficaram de fora, tanto por lesão como por dispensa.

Dunga que aproveitou o amistoso para promover algumas estreias, durante a semana declarou que não há espaço para derrota. “Apesar de não valer nada, vai perder esse jogo para ver a confusão que dá”, disse. As mudanças ficaram por conta de Thiago Silva, Michel Bastos, Elano e Nilmar, no lugar de Luisão, André Santos, Ramires e Robinho, respectivamente.

Já a Inglaterra jogou sem as principais peças. O goleiro James, os zagueiros Terry e Ferdinand, os meias Lampard, Gerrard, Beckham, Carrick e Heargraves e o atacante Owen. Ainda assim, o técnico Fabio Capello conseguiu neutralizar quase todas as jogadas canarinhas com as duas linhas de quatro.

O jogador mais produtivo da partida foi, mais uma vez, Nilmar. Além de participar das jogadas mais perigosas, foi o único marcador e ainda arrancou um pênalti, que foi desperdiçado por Luís Fabiano aos dez do segundo tempo. Pela Inglaterra o atleta que mais participou foi o arqueiro Foster, mas ainda assim não conseguiu evitar o gol. No começo da segunda etapa Nilmar recebeu um ótimo passe de Elano e, de cabeça, colocou a bola no canto para balançar as redes.

Dunga também aproveitou a diferença no placar e, já no segundo tempo, promoveu mais algumas estreias. O atleta do Porto Hulk entrou no lugar de Luís Fabiano, machucado, mas não deve ser nada grave. E Carlos Eduardo substituiu Nilmar, mas apesar de mostrar vontade nas divididas e chamar o jogo, não conseguiu se destacar. Agora o Brasil vai enfrentar a seleção de Omã, na próxima terça (17).

Read Full Post »

Mesmo com um a mais desde o primeiro tempo Seleção não consegue marcar e perde nos pênaltis.

Redação ABC

Equipe de Gana comemorando. Foto: UOL.

Equipe de Gana comemorando. Foto: UOL.

 Gana não faz uma boa final, mas joga com raça e determinação e fatura o “caneco” da Copa do Mundo sub-20 2009, realizada no Egito. Apesar da maior participação da Seleção Brasileira, com posse de bola e criação de jogadas, os finalizadores não souberam aproveitar, principalmente Alan Kardec. A partida foi para os pênaltis com um empate sem gols. Mérito dos Goleiros, especialmente de Agiey, arqueiro ganês. Além de defender as várias oportunidades criadas pelo Brasil, pegou duas penalidades (Souza e Alex Teixeira) e teve a sorte de mais uma ir para fora (Maicon). E assim superou Rafael que salvou em duas oportunidades (Mensah e Addae).

 No primeiro tempo um jogo truncado de marcação forte por ambos os lados. A primeira oportunidade só surgiu quase com dez minutos de jogo com Giuliano batendo falta da esquerda quase no segundo pau, a cobrança saiu forte e Ganso não conseguiu chegar para escorar. Dos três criadores brasileiros, Alex Teixeira era o que se apresentava melhor no jogo, pois vinha buscar a bola, mas ainda assim, a individualidade pesava quando a marcação chegava, e isso normalmente acontecia quando a bola passava do meio-campo. Daí em diante o Brasil começou a usar, o bom e velho, “toca e passa” e isso ajudou bastante na movimentação. No entanto, nada de jogadas perigosas. E aos 36, em um contra-ataque de Diogo para Alex Teixeira, Addo chega forte e recebe vermelho. Mesmo com um a mais a equipe de Rogério Lourenço não aproveita e só sai para o segundo tempo com uma vantagem, um a mais em campo.

A seleção volta muito melhor a campo e já aos 4, faz o que na havia feito durante o primeiro tempo de jogo, leva perigo à barra de Agiey. Não seria a única vez… E Alan Kardec, em tarde lamentável, perde a primeira grande chance de cabeça, depois da finta de Souza sobre Inkoom. Aos 19 sai Ganso, impotente na partida, e entra Douglas Costa. Douglas jogou mais pelas pontas e deu várias assistências a Kardec, infelizmente nenhuma delas aproveitadas. Então Rogério resolveu colocar o atacante Maicon no lugar do volante Renam, para ter mais força ofensiva. E nada resultou.

Na primeira etapa da prorrogação Alex Teixeira dá ótimo passe para Kardec, que quase na pequena àrea não domina a bola, essa então fica para o outro atacante, Maicon, que bate bem, mas o goleiro Agiey defende. A jogada coroou a infelicidade do ataque Brasileiro.  E presenteou o goleiro ganês.

A partida vai para os pênaltis. O primeiro a bater é Kardec, “antes tarde do que nunca” deve ter pensado o torcedor brasileiro ao ver o atacante estufar a rede. Mas perdeu a euforia quando Ayew empatou. Então Giuliano foi lá e fez o dele, mas o lateral Inkoom mais uma vez igualou o placar. Douglas Costa chutou muito bem no ângulo e com a defesa de Rafael sobre Mensah o Brasil abriu um de diferença. O volante Souza cobrou mal perdeu. Foi aí que Agiey começou a mostrar suas qualidades. Rafael também fez sua parte e pegou a penalidade de Addae. E daí começa o fim da Seleção brasileira sub-20. Agiey vê Maicon chutar para fora e pega a bola de Alex Teixeira, enquanto o artilheiro e melhor jogador do campeonato, Adiyiah, e Badu confirmam o ouro ganês.

Parabéns para Gana, jogou com raça e mesmo com um jogador a menos conseguiu levar a partida para os pênaltis e conquistar a taça. Só não faça isso denovo. Pois aposto que caso essa batalha aconteça mais uma vez o treinador Sellas Tetteh corre risco de ter um ataque cardíaco.

Read Full Post »

Se a Seleção não entrar de igual para igual corre sério risco de perder o caneco.

Redação ABC

Nada de "bamborim" e quem pegar pegou. Vai na raça e na vontade.

Nada de "bamborim" e quem pegar pegou. Vai na raça e na vontade.

Nesta sexta (16) o Brasil sub-20 vai ao estádio Internacional de Cairo às 15h disputar a final do mundial. E as pessoas, que não vem acompanhando os jogos paralelos aos da seleção ficam surpresas com o adversário brasileiro. Do outro lado do campo estará a equipe de Gana. Bem entrosada, muito forte fisicamente e tecnicamente, principalmente pelas laterais, com bolas alçadas na área. Ao ver o elenco ganês dá a impressão de que boa parte dos jogadores são “gatos” (atletas que alteram a idade).

 

Mas apesar de confrontar o melhor ataque da competição com 16 gols, a Seleção não deve se intimidar. Afinal de contas, é a melhor defesa e já mostrou a todo mundo que tem vários jogadores capazes de fazer o diferencial em uma decisão, tanto no banco de reservas como na equipe principal. A maioria dos atletas brasileiros é titular nos clubes onde jogam e disputam competições de altíssimo nível, como a Libertadores da América.

 

Neste jogo os olhares provavelmente estarão voltados para os meias Alex Teixeira, Giulliano e Paulo Henrique Ganso. Mas o diferencial deve ficar por conta dos laterais Diogo e Douglas, além do atacante Alan Kardec, que já mostrou oportunismo e técnica dentro da grande área. Pelo lado de Gana a atenção deve ser redobrada sobre o artilheiro do mundial, o centro-avante Adiyiah, camisa vinte, e o meia organizador e capitão Ayew, com a dez. Este último é filho do ídolo Abedi Pelé. No entanto, de maneira alguma Rogério Lourenço deve esquecer a marcação pelas laterais, onde estarão Inkoom e Addy, ao contrário aproveitar a freqüente subida dos laterais para encaixar o contra-ataque, arma bem executada na equipe Canarinha.

 

Nesta decisão as duas equipes vão falar a mesma língua. E nessa língua devem constar as palavras: raça, vontade, equipe e oportunidade. Para enfim chegarem à glória. Vale ressaltar, também que essa mesma geração Canarinha, perdeu o mundial Sub-17 para Gana. Tomara que o Brasil consiga vingar a derrota. Mas caso isso não aconteça, prestem atenção na bela dança da equipe ganesa.

Read Full Post »

 O Brasil sai das Eliminatórias em jogo sem gols. Agora só resta se preparar para a Copa de 2014.

Redação ABC

Foto: Globo.com

Foto: Globo.com

Com a classificação já garantida, o técnico Dunga continuou fazendo testes na equipe no jogo desta quarta (15). Desta vez ficou por conta de Felipe Luís na lateral-esquerda e o volante Lucas no meio.  O Brasil permaneceu com o futebol que havia apresentado contra a Bolívia no último domingo (11) e ficou no 0x0 contra Venezuela.

A equipe de Dunga quase não criou oportunidades durante o começo do jogo. Diferentemente da Venezuela que, apesar de jogar na defensiva, quando encaixava o contra-ataque, levava bastante perigo. Novidade para ninguém que a seleção venezuelana iria se retrancar. O treinador brasileiro poderia aproveitar a situação estável com a torcida e testar uma formação mais ofensiva e sufocante, marcando sobre pressão e talvez até utilizando três atacantes com: Nilmar e Tardelli pelos flancos e Luís Fabiano mais solto pelo meio. Mas o técnico preferiu mudar apenas as peças.

No segundo tempo, com a expulsão de Miranda, a Venezuela tentou atacar mais e, aí sim, o Brasil começou a usar o que tem de melhor, o contra-ataque. Mas nada resultou. Na melhor chance, Kaká colocou a bola na trave. Parece ser rotina brasileira, pois os mesmos problemas acontecem com a seleção sub-20, no Mundial do Egito. Quando enfrentam uma equipe retrancada, até conseguem encaixar boas jogadas, mas peca muito nas finalizações.

Agora é esperar para ver como a Canarinha vai se portar dia 14 de novembro diante da Inglaterra.  Os ingleses tem uma grande defesa, com Terry e Ferdinand e um meio-campo fortíssimo com Beckham, Gerard, Lampard, Hargreaves… Enfim, deve sobrar, primeiro, para Júlio César. Depois para Dunga. 

Read Full Post »